Notícias
Colóquio luso-brasileiro “Evolução Bio-cultural, Moral e Política” – Chamada por resumos até 29 Maio

Desde a publicação de The Descent of Man de Charles Darwin, há 150 anos, que as teorias evolutivas aplicadas ao estudo do humano se têm continuado a desenvolver, provando-se extremamente prolíficas nas suas ambições de explicar todo o tipo de fenómenos do nosso quotidiano. Isso inclui a nossa própria capacidade de teorizar a evolução – o que terá levado muitos cientistas a considerar a teoria (neo-)Darwiniana, em particular, como a mais poderosa teoria alguma vez pensada pela humanidade.
Neste colóquio online reuniremos pela primeira vez na língua portuguesa um painel de investigadores com interesse em perceber o potencial explicativo da teoria evolutiva quando aplicada, não apenas aos domínios cognitivos e comportamentais, mas também, e sobretudo, aos de índole sociocultural, sem deixar de lado as explicações mais controversas (e por vezes especulativas) da moral e da política, que têm proliferado mais recentemente.
Consequentemente, o desenvolvimento destas novas áreas de aplicação da teoria evolutiva poderá beneficiar da formação de uma comunidade de interesse comum a cientistas e filósofos mais coesa em Portugal e no Brasil.

O evento de três dias incluirá apresentações de vários oradores convidados, mas está também aberta uma chamada por resumos para algumas apresentações de 20min. aos quais se seguirão 10min. de perguntas e respostas.

Daremos primazia a uma representação o mais alargada possível das mais variadas abordagens e posições contemporâneas. Possíveis tópicos de interesse incluem:

 

  • São os animais não-humanos capazes de evolução cultural cumulativa?
  • Quão distintos são os mecanismos de evolução cultural daqueles da evolução biológica?
  • É possível desenvolver modelos filogenéticos para a tecnologia ou, mais geralmente, para a cultura?
  • Que relevância têm as teorias da evolução moral para a meta-ética?
  • Se a moral evoluiu para promover as vantagens evolutivas de uma vida social, o que é que nos informam os modelos de evolução da cooperação (e.g. em teoria do jogo evolucionária)?
  • Será que é justo dizer que o ser humano está adaptado a uma vivência tribal e, se sim, de que modo é que o tribalismo influencia a nossa vida contemporânea em ambientes distintos daqueles em que ele evoluiu no passado?
  • Como é que poderá ter evoluído a nossa capacidade para pensar uma moral tipicamente cosmopolita (representada, por exemplo, na crença de que todos os humanos merecem igual respeito ou na crença de que existem valores intrínsecos e direitos inalienáveis como aqueles listados na DUDH)?
  • Será que as nossas melhores teorias e hipóteses acerca da evolução humana nos permitem questionar a viabilidade ou fortalecer os fundamentos de ideologias liberais ou conservadoras?
  • Existem alguns paralelos entre as teorias da evolução sociocultural contemporâneas e os programas eugénicos passados?

Apresentações sobre outros temas de relevo também poderão ser aceites, na condição de se inserirem no conjunto dos tópicos do colóquio, conforme delineados no título abrangente do evento.

Os resumos anonimizados e de 400 a 1000 palavras (excluindo referências bibliográficas) deverão ser endereçados a João Pinheiro e enviados para o endereço de e-mail joaopinheiro@hotmail.com até ao dia 29 de Maio com o título de mensagem “Submissão – Evolução Bio-cultural, Moral e Política”.

Aconselha-se que o resumo seja explícito na declaração das principais teses e argumentos a serem desenvolvidos na apresentação, deixando claro qual o contributo da apresentação proposta.

 

Oradores convidados:

Anuska Irene de Alencar (UFRN & CCHLA)
Augusta Gaspar (FCH-UCP & CRC-W)
David G. Santos (UBI)
Fábio Portela Almeida (Europa-Universität Flensburg)
Filipe Nobre Faria (IFILNOVA)
Francisco C. Santos (IST & INESC-ID)
Joana Bessa (Oxford)
Lorenzo Baravalle (FCUL-CFCUL/GI2 & CCNH-UFABC)
Maria Emilia Yamamoto (UFRN & LECH)
Mercedes Okumura (USP)
Paulo Abrantes (UnB)
Paulo Finuras (ISG)
Rodrigo de Sá-Nogueira Saraiva (FPUL)

 

Comité científico: Davide Vecchi (CFCUL/GI2), Lorenzo Baravalle (CFCUL/GI2), Mara Almeida (CFCUL/GI3), Silvia Di Marco (CFCUL)

Organização: João Pinheiro (CFCUL/GI2), Silvia Di Marco (CFCUL)

 

Para mais informações sobre a chamada por resumos escrever para: joaopinheiro@hotmail.com